IX CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO MÉDICO-ESPÍRITA DO BRAS...
CURSO DE EXTENSÃO: MÚSICA E RELIGIOSIDADE
ALBUM DE 10 ANOS DO CD MICRÓBIO DO FREVO
AULAS NA PÓS-GRADUAÇÃO - Uma experiência renovador...
MÚSICA E RELIGIOSIDADE : Das cavernas à música con...
SILVÉRIO PESSOA & LA TALVERA (Projeto Forroccitani...
NOVO CD LANÇADO NA EUROPA
SHOW COM GILBERTO GIL NO IBIRAPUERA - 25 ANOS DO I...
INTERCÂMBIO NA UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO...
INUSITADOS MOMENTOS QUE ME ENVOLVEM NO INÍCIO DE 2...





05/2006 06/2006 07/2006 08/2006 09/2006 11/2006 12/2006 03/2007 04/2007 05/2007 06/2007 07/2007 08/2007 03/2008 04/2008 05/2008 06/2008 07/2008 08/2008 10/2008 11/2008 12/2008 01/2009 02/2009 03/2009 04/2009 05/2009 06/2009 07/2009 08/2009 09/2009 10/2009 11/2009 12/2009 01/2010 02/2010 03/2010 04/2010 05/2010 07/2010 08/2010 09/2010 10/2010 05/2011 06/2011 07/2011 08/2011 10/2011 11/2011 01/2012 03/2012 05/2012 09/2012 11/2012 01/2013 05/2013 06/2013
  • Current Posts





  • Site Oficial
    Comunidade no Orkut




    Karina Hoover
    Envie um email

    +55 81 3269 1654
    +55 81 32691625
    +55 81 99677815



    Layout:PIANOLAB

    21.12.06
    DIARIO DE VIAGEM – EUROPEAN TOUR – 2005

    NAS TERRAS DA GENTE
    SILVÉRIO PESSOA & BATE O MANCÁ

    02. e 03.05.05 – segunda e terça
    Vôo saindo do Recife, TAP, conexão em Lisboa. De Lisboa mais um vôo para Orly, Paris. Chegamos ás 16:15h. Tudo tranquilo.
    Chegando em Paris entramos direto na Van e seguimos para Auxerre Sud, 150 Km de Paris, para um descanso. Eu, André e Renatinho fizemos uma caminhada pelos arredores, uma linda área de campo, com chuva leve e um arco-iris receptivo.

    04.05.05 – quarta
    Saimos de Auxerre e pegamos Estrada chegando em IGÉ, uma vila perto de Macon, na route de vin, estrada dos vinhos, linda região da Borgonhe. Continua bem frio por aqui, mas, agradável. Passamos o som e estamos em um albergue no descanso. Show a noite as 21:30h.

    O primeiro show da Tour foi contaginate. Repertório para tirar o fôlego, encerrando com um Bis, mandamus ver “Na Boleia da Toyota”, um caboclinho Rock que botou os gringos para dançar e delirar. Uma surpresa, nenhum brasileiro no publico!

    05.05.05 – quinta
    Estrada.,para Bretagne 10:00h. 450 Km. Parada em Rute du Mans, Bonchamp-les-Laval para jantar e descanso. Fizemos uma avaliacão do primeiro show, equipe, continuidade. Aqui tá um frio danado!

    06.05.05 – sexta
    Mais 250Km até Pleneuf Val-Andre. Aqui acontece nos dias 5,6,e 7 o VAL LATINA, festival que recebe além do nosso show hoje com o Trio Mocotó, Seu Jorge e Chico Cesar. Nosso show está no Calendário Oficial L’Année du Bresil en France.

    O show foi delirante! Publico conquistado e vibe das melhores. Som perfeito. A presença de um tecnico de som na equipe (Titio) deixa nosso som mais seguro e o rendimento é maior.

    Encontrei Seu Jorge, conversamos e almoçamos juntos.
    Demos uma canja no final do Show do Trio Mocotó cantando Jackson do Pandeiro!

    07.05.05 – sábado
    Fomos convidados de ultima hora para substituir uma banda da Africa que não conseguio embarcar para um Festival em Glomel, na Bretagne, os diretores do Festival viram nossa apresentação em Val Latina e nos convidaram. Encerramos o festival com uma apresentação vibrante.

    08.05.05 – domingo
    Após o show em Glomel, 750km até Hurri Erratz nos Pyrennees, passamos a madrugada viajando. Chegamos bem, fomos direto para o Palco passar som e as 15:30h fizemos um grande show para 10.000 pessoas em um festival que luta pela escola Basca, além de buscar a independencia do Pais Basco, com uma diferença aqui na França, sem terrorismo, atentados.

    09.05.05 – segunda
    Descanso geral em um Hotel nas montanhas dos Pyrennees.

    Recebemos noticias de Paris que nosso show no Val Latina, representando o Brasil foi considerado o melhor show do Festival.

    10 e 11.05.05 – terça e quarta
    Saída do Hotel em St.Pee, País Basco, para Bayonne.
    Chegada em Bayonne para descanso.
    Saída de Bayonne para Lille, Norte da França. Parada em Paris para dormir.
    Rodamos mais ou menos 1100 Km.

    12.05.05 – quinta
    Chegada em Lille, almoçamos em um restaurante Árabe, bem no centro da cidade.

    13.05.05 – sexta
    Show com retorno ao palco triplo, algo que nunca aconteceu conosco, tivemos que voltar 3 vezes ao palco, voltamos com “Na Boleia da Toyota” e foi algo inexplicável, claro, sem nenhum registro.

    14, 15 e 16.05.05 – sabado, domingo e segunda
    Estrada para Pais basco, dormindo em Bayonne e depois pegando Estrada para Ordiepe, lugar do Pais Basco que tem um grande festival de musica tradicional.
    Nosso show foi impactante, sempre criando, mostrando novo som para um publico que desconheçe um outro som do Brasil, Não tevimos tempo para o BIS. Duas cantoras participaram do final do show, uma do Pais Basco, outra da região country do EUA.
    Nos despedimos hoje em clima de muita emoção de um Pais, lugar, Região que luta pela sua independencia.

    17 e 18.05.05 – terça e quarta
    Passsamos o dia na Estrada, algumas paradas para fotos e refeição. Chegamos em Paris exautos.
    Saída de Paris para Stockholm, Suécia.

    Hoje, dia 18 de maio, meu filho Pedro tá fazendo aniversário, 5 anos.

    19.05.05 – quinta

    Chegamos em Stockholm as 16:30h, ontem, com 10 oc. Um frio daqueles!
    Os policiais desconfiaram de nossas bagagens e fomos “convidados” para ser farejados por uma cadela que rastreia drogas! Não encontraram nada!

    Aqui é uma daquelas cidades que impressiona pela arquitetura antiga e moderna convivendo na boa. Estamos no Rica Hotels www.rica.se bem no centro.

    O FESTIVAL DO BRASIL reune uma serie de shows no Bar Brasil, reduto de musicos e publico interessado em musica brasileira e em movimentos musicais no Brasil. O Trio Mocotó, Mr. Catra, Wagner Pá e eu faz parte da programação que encerra com show do Ministro Gilberto Gil no dia 22 de maio.

    20.05.05 – sexta
    Fizemos show completo ontem, com direito a Bis, “Na boleia da Toyota” no palco é um Rock dos mais pesados.
    12:00h -Vôo para Paris.

    21,22,23,24,25,26, 27.05.05
    Fomos ao show do Massilia Sound Sistem em Paris, uma grande feira na qual o Tatou, o Jari e o Gari, lançaram discos solo e terminaram a noite com os hits da banda, depois claro, uma boa dose de Pastiche e uma roda improvisada de coco com os caras do Massilia.

    De Paris seguimos para um merecido descanso em S.Emilion, Bordeux, a terra dos vinhos precisosos da França. Temos um casal amigo, o Patrick e a Terezinha, eles moram em um Chatêau e cultivam vinhas para o fabrico artesanal de vinhos branco, ruge e Champagne. Aqui uma maravilha, casa grande, boa comida e um campeonato de bilhar. Sempre que nos despedimos nos emocionamos, a casa é comos e fosse nossa.

    Vôo de Paris para Sevillha. Chegamos ontem dia 26, as 21:30h.Temperatura de Sevillha 32 graus. Bem diferente das temperaturas que pegamos no decorrer da Tour, entre 9, 11 e 22 graus.
    Passeio pela Cidade. Nosso show é amanhã.

    28.05.05 – sabado
    Passamos o som hoje. O Show faz parte do Festival TERRITORIOS em Sevilla. Uma praça que lembra os arredores do Recife antigo, por alí pela Praça do arsenal.

    Show contagiante! 4.500 pessoas no ultimo show do Festival aberto.! Deixamos o palco com todos gritando Freeeevoooo!!!!!! Maravilha! Cada vez mais a banda esquenta as novas canções.

    29.05.05 – domingo
    Vôo para Paris as 7:00h, pegar a Van e seguir Estrada direto para Holanda, show hoje ainda.

    Foram 4 Países em menos de 12 horas. Saimos da Espanha em Sevilla, chegamos na França em Paris, aeroporto de Orly, pegamos Estrada cruzando a fronteira com a Bélgica e depois cruzamos mais uma fronteira da Belgica com a Holanda.

    Chegamos cansados e ao mesmo tempo instigados para o show em Rotterdan. Fomos direto para o palco, passamos o som e mandamus ver 1 hora de show. Mais uma vez o bis foi fundamental para confirmarmos nosso poder de fogo na europa. Cantamos um set de coco no final do show. O Festival de Rotterdam, Dunya nos emocionou.

    30, 31.05.05 – segunda e terça
    Fizemos um passeio em Amsterdan, uma cidade linda, cehia de canais e pontes, muita bicicleta nas ruas, mais até que carro. Fomos nos cafés onde a maconha é consumida naturalmente e vendida através de menu. O consumo é liberado as pessoas fuman naturalmente nas ruas. Uma cidade organizada com muita gente trabalhando e passeando. No final da tarde retornamos para Roterdan e em um jantar bem legal no restaurante do Iran, uma legal confraternização com o diretor artistico do festival Dunya.

    Saida para Dijon.

    ENCONTROS COM ARTISTAS
    Durante esse primeiro mes de Tour nos encontramos com amigos que estão em tour ou promovendo seus Cds aqui na europa.

    Primeiro encontramos o Jean da banda Mei Tei sho, grupo que esteve em Recife, participou do meu novo CD e foi um dos nossos convidados naquele show memorável no Carnaval do Recife no Marco Zero. Eles estavam no show de Igé, em Macom, França.
    Depois foi a vez de Seu Jorge, fizemos o Festival do Val Latina na cidade de Pléneuf Val André, ele estava bem otimista com o sucesso aqui na Europa.
    Nossos amigos do Massilia Sound Sistem, estavam em um palco especial na Feira de arte de Paris lançando seus trabalhos solos e finalizando com um grande show da banda, tomamos um pastiche juntos, claro, e planejamos nosso show juntos em Masselie onde vamos dividir palco.
    Em Sevilla, rapidamente, demos um abraço no Dupain, grupo que canta em Occitan e que vimos em um grande festival de Langon na Região de Bordeux, ficamos fãs.
    Vindo de Sevilla, Espanha, no aeroporto, pegamos o mesmo vôo da Cia.Iberia, com a turma do Orishas, os caras super brincalhões estavam com show marcado em Paris.
    Outro encontro muito legal foi com os caras do Le Coeur de la Plaine, eles fazem 5 vozes com pequena percussão e cantam em coro musicas Occitane, conheci os caras no Festival de Langon de 2004 em S.Emilion, eles são de Marseile e estavam no TribuFestival de Dijon.

    01.06.05 - quarta
    Descanso em Dijon.

    02 e 3.06.05 – quinta e sexta
    Dijon é uma pequena cidade que transpira tranquilidade. Estamos em um centro de estudantes, tipo albergue que recebe estudantes de vários países, varias linguas, varias culturas, é uma experiência ímpar.
    Nesses dois dias aproveitamos a proramação do Tribufestival, assistimos o concerto de um trio de jazz experimental bem interessante, Mina Agossi Trio, www.mina-agossi.com , a garota Mina Agossi faz malabarismos vocias acompanhada de um baixo acústico e um baterista, lembra as grandes standards do jazz, mas tem uma personalidade, foi bem legal.

    Ontem um dia interessante, o nosso baixista Israel adquiriu um pedal para o baixo, Wilson comprou um novo caixa que tem incorporado platinelas de pandeiro, passeamos na cidade e a noite uma grande surpresa foi os shows no espaço L’Usine. Primeiro um quarteto que tem o Byard Lancaster, saxofonista e flautista, respeitado por tocar com grandes nomes do Jazz e da musica criola, e o Jalal Mansur Nuriddin, que em 1969 tocava no The Last Poets, um dos grupos pioneiros do rap Americano, foi maravilhoso!!! Foram acompanhados por um hamond B3 do Georges Edourard Nouel e pelo percussinista Roger Raspail.

    Para encerrar a noite, nada mais que o DJ Spooky, www.djspooky.com , o cara abriu a noite com um abiente na base do Dub, Raggae , com cortes e collagens de jazz e cyber sons, e as 2:30h da madruga, com a polícia de Dijon solicitando baixar o volume, cara detonou beats para dançar com um funk e drum and bass que raras vezes ouvi com as montagens que ele fazia. Na parede do pequeno espaço L’Usine, tipo club subterrâneo, Projeções mandadas pelo Mac do Spooky com improvisações sobre bandeiras dos EUA, Brasil, Palestina e por aí vai!!!!!…Que noite!

    04.06.05 – samedi
    Nos transferimos do albergue para o hotel do Festival. O dia foi corrido, logo cedo passamos o som, o palco grande e um campo aberto para o show da noite. Depois fui para uma conferência sobre o Forró e a cultura do Nordeste do Brasil, promovida pela FNAC, rede de lojas da Europa, o auditorio estava lotado, muita gente curiosa sobre o assunto, ilustrei a palestra com musicas de Luiz Goinzaga, Jacinto Silva e Heleno dos 8 baixos.

    A noite, entramos em palco as 22:00h, um show completo com o COCO DO M remix fechando a noite, 1.500 pessoas pagaram ingresso para ver nosso trabalho. Seu Luiz Paixão abriu a noite de festa em Dijon.

    05.06.05 - dimanche
    Saida de Dijon para Paris.

    06, 07, 08, 09, e 10.06.05
    Semana em Paris. Tive várias entrevistas, duas importantes para nossa divulgacão aqui na França, com o jornalista do jornal le Figaro Bertrand Dicale e o Sylvain Siclier do le Monde, essas materias devem sair em breve aqui na França. Outras foram com a Radio Internacional de France e com criticos especialistas em musica do mundo e em especial em musica brasileira, como é o caso de Pierre Cuny da Radio Aligre. Outro encontro bacana foi com o Jaques Denis, que escreve para a Revista Vibrations e está fazendo uma coletánea de musica brasileira em CD sobre os anos 60/70, um cara ligado e gente boa. A Sandrine Texido também a cada vez mais se aprofunda sobre a musica do Nordeste do Brasile e em especial a musica de Pernambuco. A meta é “quanto mais divulgar melhor”, ao emsmo tempo tentar oferecer outra definição e compreensão sobre o Forró que chega forte aqui, mas em vários meios de comunicação chega como dança, baile, sem nenhum enfoque politico, histórico e social.

    Consegui ir em uma loja do MAC, atualizei meu Office, Ilife 5, e aproveitei o tempo para dar uma atualizada no blog de viagem.

    Paris é sempre um delumbre, sedutora e cinza ao mesmo tempo, iluminada e “sinistra” em alguns momentos. Os cafés cheios, sempre, em alguns locias as avenidas recheadas de pessoas apressadas, sérias, concentradas em seu mundo, retas! Mas Paris não perde o glamour.

    O Festival Nuits du Nordeste, acontece de 8 a 10 no badalado club de Jazz New Morning, para obrigatória em Paris, por lá passaram nomes do Jazz, do Blues e da musica Brasileira, um reduto de curiosos e de publico em geral. Com organização do Outro Brasil e da V.O Music, o festival nesses 3 dias traçou um panorama da atual musica Pernambucana, dia 8 o Eddie e a Nação Zumbi fizeram grande noite, ontem dia 9 Siba e DJ Dolores em um grande encontro tradicional e moderno e hoje sere nossa vez com abertura da noite do singular Seu Luiz Paixão. Históricos encontros na França e em especial aqui em Paris.

    11,12,13,14,15,16,17,18 e 19.06.05

    Estamos em S.Emilion depois de muito trabalho em Paris. S.Emilion é nossa segunda casa, ficamos em um Chatêau próximo a vila de Parssac, em Montagne, uma rica região de vinhedos, vinhos e uma culinária tradicional deliciosa. Paisagens maravilhosas e um cotidiano rural que nos leva a dar um suspiro de saudades e ao mesmo tempo se apaixonar pelas pessoas e pelo lugar.

    Conseguimos fazer uma reunião com a equipe sobre a primeira parte da Tour, foi muito bom avaliar os shows, a performance da banda, nossa convivência, e os projetos e planejamento para esse segundo semestre e o semestre de 2006. Resolvemos fazer um dia de ensaio em um estudio de Bordeaux para fechar alguns pontos desse repertorio e acrescentamos 2 novas cançøes de Jacinto Silva que nãoe stavam no Bate o Mancá, ficou muito bom, suingadas e diferentes das canções que trabalhamos. Foram 4 horas de ensaio.

    Sexta feira, mercredi, viajei para CORDES SUR CIEL, uma cidade situada em uma rica região de tradicão occitan. Lá encontrei mais uma vez o líder da banda LA TALVERA, Daniel Lodo, sua familia, sua fundacão e sua luta para afirmar a cultura Occitan (lingua, musica, culinaria, politica). Falar sobre o Occitan precisaria de muito tempo, mas para se ter uma ideia, é uma região antiga da França na qual atraves do trabalho agrícola se criou uma maneira de vida, uma cultura, que a França moderna oculta. Eu diria que é em Cordes que eu re-encontro meu passado, algumas origens da musica que eu faço, é sempre muito forte esse encontro, que tem como base a história do acordeon.

    Saimos amanhã para Orleans, onde no dia 21 faremos um show em Praça pública pelo dia da Musica na França, a FÉTE DE LA MUSIC.

    20 e 21.06.05
    Chegada em Orléans. A cidade de Joana D’arc respira festa por causa do dia dam úsica na França. Vários palcos são montados em toda cidade, ou melhor em toda França, é um dia super comemorado. Ficamos em um Albergue gigantesco que recebe jovens estudantes e mochileiros de todo mundo. A passagem de som foi tranquila, porem debaixo de um sol escaldante de 39 graus! Dividimos o palco com um grupo de Africanos de Bening, moçada animada que além de utilizar instrumentos tradicionais africanos fazem um naipe de metais fabuloso.

    O Show em Orléans foi festa, a rua estava lotada, parecido com o espaço no Recife antigo, perto do Burburinho, calculamos 1000 pessoas transitando, vendo o show, dançando, incrivél! No final do show uma canja dos Africanos, cantamos cocos juntos, ritmo que eles não tiveram a menor dificuldade de tocar, na festa da musica na França, fizemos uma grande festa!

    22 e 23.06.05
    Deixamos Orléans bem cedo, 9:00h e pegamos estrada para Marseille, chegando aqui as 20:00h. As estradas da França são um tapete, a Van é confortável e nesse trajeto assitimos o DVD de Lenine in Cité. Algumas paradas para lanche e fotos, pois a paisagem rural da provance é exuberante.
    Nos encontramos com os caras do Massilia Sound Sistem, grupo que estreitamos amizades desde 2003, na casa do Jari, um dos vocalistas, tomamos um gelado refresco e jantamos ao som do Micróbio do Frevo, uma noite bem agradável.

    Hoje, 23, estamos todos com as saudades mais afiadas de Recife, véspera de São João, e nosso terceiro ano sem tocar na festa que mais traduz nosso som, nossa história, nossa tradicão. O São João na Europa existe, em alguns países como Portugal é mais festivo, aqui na França é mais tímido, acredito que em algumas provances, cidades mais afastadas de Paris, como Cordes, Albi,o São João lembra o nosso, afinal essa festa foi daqui para o Brasil e manteve-se forte no Nordeste, em Pernambuco. Mas, estamos felizes por tocar hoje em Marseille, dividindo o palco com o Massilia em um dia especial para nós. Em nosso planejamento, junho de 2006 estaremos com novo show do CD Cabeça elétrica, coração acústico, então faremos questão de estar com nosso povo nessa época.

    O Show com O Massilia foi surpreendente, os caras criaram um espetáculo teatral e musical onde reproduzimos uma partida de Footbal em pleno palco, um desafio, uma brincadeira maravilhosamente produzida. O galpão proximo as docas, ao porto de Marseille estava lotado de jovens e pessoas curiosas pelos shows juntos. Cada banda cantou uma cancão, uma sequencia sem fôlego, uma reacão maravilhosa do publico com nossa musica e com nosso encontro Nordeste/Occitan, no final 5X5, com direito a penalties, eu perdi um e o Tatou fez o dele. Muitas portas se abrem com essa amizade com os Massilia, muita coisa ainda vai rolar.

    24.06.05 - sexta
    Passeio em La Ciotat, uma Linda vila com uma praia espetacular, a 30 Km de Marseille. Fomos passar o dia, tomar uma cerveja, celebrar a noite do show.

    25.06.05 – sabado
    Saida de Marseille, deixando saudades, amizades e grandes momentos. Viajamos 10 horas de estrada e cruzamos a França, Alemanha, e dormimos na Belgica, em Bruxeles. Exautos.

    26.06.05 – domingo
    Chegada em Utrech na Holanda, uma Linda cidade, plana e com muitas pessoas de bicicleta nas ruas. O Juliana Park, parecido com o parque 13 de maio recbeu cerca de 4.000 pessoas para assistir o Festival no qual teve nosso show como penultimo, antes de um grupo Cubano. Tudo foi muito rapido, chegamos, passamos o som e tivemos 45 minutos para detonar nosso repertorio de Forrós, Cocos, Boi e uma força Rock que fez o publico urrar para o bis. Não foi nosso melhor show, pois a equipe de palco não foi tão eficiente para montagem e chek, mas, passamos bem pela segunda vez na Holanda.

    27 e 28.06.05 – segunda e Terça
    Saída da Holanda para Lille, França. Curioso o que aconteçe quando saimos da França para outro Pais, bate uma vontade de voltar para Franca, até mesmo pela lingua que nós estamos mais acostumados e estudando. Quando cruzamos a fronteira com a Belgica foi um grito de “Chegamos na França”!!!!!!! Aqui em Lille estamos em um bacana Albergue, proximo do centro, hoje tem a final de Brasil X Argentina pela copa das Confederações e depois de amanhã seguimos para Alemanha e Belgica para dois shows, finalizando mais uma etapa em Paris dia 3 de julho.

    29 e 30.06.05 – quarta e quinta
    Esses dois dias em Lille foram um refresco para alma, o albergue deixou a equipe mais proxima, diferente de quartos de hotel que separam o grupo em duplas e o roteiro é mais “frio”, no albergue estamos brincando, tocando, vendo DVDs, trocando ideias e interagindo, o que é muito importante em uma Tour. Eu dei um gostoso passeio pela cidade com uma amiga, a Marion, que conheci no Festival de Wayzemmes, aqui mesmo em Lille. Fomos a Fenac vê uns CDs, tomamos uma cerveja em um point histórico da cidade, passeamos por praças, bem legal e tranquilo. Aqui em Lille também soubemos algumas noticias do Recife, sobre chuvas, e no Brasil a questão do escândalo dos Correios, mas, não temos bastante informações.

    Saimos do Albergue, Maison Folie, de Lille, as 10:30h rumo a Alemanha. Nunca pegamos tantas horas de estrada em uma Tour, foram 12 horas de route, começando na França, passando pela Belgica, cruzando a Alemanha, cidades como Frankfurt, passando perto de Berlin, para chegar em Rodolstadt, cidade bucólica, plana e um pouco fria de clima aqui na Alemanha, estamos no Leste. O “roots folk World Music”-Rudolstadt 2005 tem no nosso palco o Berimbrown e Marcelo D2, nosso show é no Heinepark – Grobe Buhne – Samstag as 23:00h.

    01 a 06.07.05
    O Show no Rudolstadt foi mais uma vez um grande momento em nossa Tour. O Palco grande, porem uma passagem de som “apertada”, no final deu tudo certo. 15.000 pessoas dançando, se divertindo, e descobrindo uma outra musica do Brasil, do Nordeste do Brasil. Mais uma vez “Na Boleia da Toyota” contagia e encerramos o show em delirio. Marcelo D2 bateu um papo comigo após o show, conversamos sobre selos, gravadora, label, estrutura da Tour, familia, filhos, foi um encontro carinhoso.

    No dia seguinte seguimos para Louvain, Belgica, 8 horas de viagem. Chegamos direto para o palco, um espaço em um centro cultural socialista. A cidade é Linda, aconchegante. Passamos o som e deixamos o palco pronto para noite. Uma rapida passada no Hotel e a noite um clima bem familiar, entre amigos e um Centro cultural curioso por nosso som. Terminamos com um bis. A Belgica sempre nos recebe bem, deixamos amigos desde o Festival Sfinks, e nos sentimos bem aqui.

    Terceiro dia de estrada em uma sequência de 3 shows. Dessa vez chegamos em Paris após 4 horas de estrada saindo da Belgica logo pela manhã. O clima aqui ainda está suportável, o problema do calor em excesso ainda não surgiu, como em 2004. Algumas cidades da França tem um clima ameno, gostoso, outros dias faz um calor forte que nos deixa irritados. Paris está Linda, muitos turistam chegam, os predios ficam com um colorido especial por causa do verão, e tudo fica divertido de ver e curtir. Fomos mais uma vez direto para o palco, o show foi em um Ginásio proximo a Montmartre, a festa popular do Sacre Couer teve muitas pessoas nas ruas de Pigalle, uma comunidade sangue bom de brasileiros e nosso show encerrou a festança em clima Nordestino, com muito som e diversão. Saimos de Paris para um merecido descanço em Angers, uma Linda cidade proxima a Paris.

    07,08,09,10,11,12,13 e 14/07/2005
    Esse periodo foi de descanso, de contatos com bandas de Angers, uma simpática cidade de 200 mil habitants que tem ao redor varias vilas rurais, com campos de arroz, trigo, milho e vinho, pela proximidade do Vale de Louir. Visitamos a Banda residente LOJO, varios musicos que moram juntos, tipo uma comunidade, muito interessante. Também fizemos reuniões entre o nosso grupo para avaliar a Tour e o mais importante, palenejar o novo show com base no novo CD, foi um encontro bem produtivo.

    Em Angers recebi um convite bacana do grupo carioca BOSSA CUCA NOVA que estavam fazendo uma serie de shows em Paris, no Cabaret Sauvage, um espaço lindo dentro do Parque de La Vilete, local onde fica o Cité de la musique no qual Lenine fez o ultimo CD e DVD. Fui cantar “Chiclete com Banana” do Jackson do Pandeiro e levamos o sampler, Base, do COCO DO M, foi uma grande Jan com os caras, o baixista Alexandre, filho Meenscal, e o DJ Marcelinho da Lua, foram bem simpáticos e fizemos um boa amizade com os caras. Foi legal voltar a Paris.

    De Angers, saimos ontem dia 13 para Orléans, nosssa já conhecida cidade. Fizemos um convite ao grupo local, Menuit Gibols para uma canja conosco hoje em um show que reune os artistas do nosso label, o OUTRO BRASIL. Ensaiamos com os caras, uma experiência legal para todos esses intercâmbio com musicos e bandas da França, que levam outro tipo de som, de ritmo, mas, são bem semelhantes em ideias políticas e de Mercado. Desde ontem pegamos muito sol na França. Aqui em Orleans muito calor. Hoje passamos o som e daqui a algumas horas começa a grande festa de 14 de Julho na França. Assisti pela TV 5 Francesa a chegada de Lula em Paris para fazer parte do desfile de comemoração, também o show que Gil fez na Bastille. Nossa apresentação hoje começa de 11:30 e encerramos a festa de 14 de Julho em Orleans.

    O Show – Nosso show foi empolgante, o publico depois da festa de 14 de julho, com queima de fogos as margens do Vale Loir, ficou para assitir nossa apresentação, cerca de 2000 pessoas. Nosso roteiro está cada vez melhor, com algumas canções do novo CD que estamos aos poucos experimentando no palco. A banda está cada vez mais entrosada e estamos em um bom momento de interação. Nossa passagem por Orléans sempre é legal, no palco contamos com a canja do Grupo Minuit gibols, uns caras amigos, já fizemos apresentação juntos e a canção deles se ajustou bem ao nosso set de instrumentos.

    15 e 16/07/2005 – sexta e sabado
    Estrada longa para Espanha, Barcelona, 1500 Km, talvez tenha sido a maior distância que percorremos em Tour pela Europa. Dormimos em uma cidade proxima de Barcelona e no dia seguinte chegamos ao local do show em Cartagena. Uma cidade que mistura arquitetura Greco/Romana e modernidade. No centro da cidade onde havia dois palcos montados, escavações de um teatro antigo Romano, contrastavam com a estrutura de um palco e de luzes e som. Chico Cesar, Margareth Menezes e eu fizemos a festa brasileira da noite, o Festival em homenagem a Turquia, LE MAR DE MUSICA, reuniu mais de 6000 pessoas entre os dois palcos. Nosso som empolgou, e lembramos do ano passado quando fizemos Segóvia, Madrid e a conclusão de que na Espanha tem moutro bom meracdo esperando por novas musicas brasileira.

    17, 18, 19, 20 e 21
    Pegamos um Vôo para a Ilha de Tenerife, Canárias. Ano passado fizemos um grande concerto aqui de São João, tradição festa da Ilha. O povo daqui é receptivo, muitos turistas, um calor que as vezes agonia, a ilha cercada de montanhas escuras, pois existe um vulcão e a ilha tem areias escuras, porem com um charme peculiar, um exotismo dificil de descrever. Aqui descansamos um pouco, passeamos pela cidade, fizemos caminhadas e hoje, 21 de julho, estamos para fazer a passagem de som e a noite as 20:45h nosso concerto. Os jornais locais, deram materia com foto do nosso show e comentaram sobre essa questão tão discutida no Brasil que é o trabalho elaborado a partir da tradicão e um Mercado que insiste em focar estilos e gêneros alheios a cultura local. Aqui existe uma curiosidade por trabalhos que primeiro aseguram uma identidade, uma história, para depois elaborar combinações, Talvez essa seja nossa tematica, talvez seja isso que sei fazer.

    22.07.05 – sexta feira
    Depois do show de ontem na Ilha de Tenerife, saimos hoje bem cedo, 5 da manhã para um Vôo com chegada em Barcelona. Outro vôo para Veneza, Italia, e depois uma Van do Festival para Trieste.

    Hoje levamos um susto grande no Vôo de Barcelona para Italia, uma grande turbulência jogou o avião de um lado para outro e caimos em um buraco sem ar, sem chão, como dizem os pilotos, a aeronave deu um solavanco tão grande que muitos objetos de passageiros cairam, e fomos levantados da cadeira segurados pelo cinto de segurança, a impressão que o avião estava em pane e ia cair, muita gente gritando, um susto grande, gente chorando e estericas, foi muito rapido, cerca de 5 a 10 segundos que paarceram uma eternidade. Depois o vôo voltou ao normal e levamos essa conosco para contar!!!!

    O local do Festival é lindo, uma floresta, e do Brasil o Chico Cesar fez o show da noite de ontem. Estamos em um Hotel na Islovênia, fronteira com a Italia, tranquilo, exautos e ansiosos para o show de amanhã.

    23, 24 e 25.07.05
    O Publico do Festival esram admiradores da cultura brasileira, um esteriotipo aqui ainda leva a imagem do Brasil para o samba, a mulata e a Bahia, então encontramos um ambiente bem “brasileiro” que nosso show levou para outra imagem do Brasil. Mandamos um show bem temático, um set acústico, depois um momento eletro-acústico com os cocos e os improvisos, e no final soltamos frevos e bases eletronicas que fizeram o publico como que redescobrir o Brasil. Pode soar pretencioso, mais nosso trabalho na Tour sempre leva um difrencial para os Festivais, algo que esperam e mandamus outras informações. Bem positivo.

    Saimos cedo da Islovênia, passamos pela Italia até o aeroporto em Veneza e pegamos o vôo para Barcelona. Em Barcelona recuperamos nossa Van no aeroporto e pegamos estrada para Toulouse. Aqui um mpequeno descanso, uma revisão no acordeon de André, passeio, e amanhã seguimos para umas pequenas ferias de 3 dias em S.Emilion. Depois seguimos para Bretagne e o final da Tour com cinco concertos em Berlin.

    26 a 31.07.05
    Depois de um bom descanso de 3 dias em S.Emilion, no Chatêau de Puynormond, tomando um bom vinho e experimentando a culinaria occitana pelas mãos do Patrick e da Terezinha, pegamos estrada de 1000 km para a Bretagne, a 8a edicão do Festival Les Arts Dînent a l’huile na vila de Dournenez, portuária, que lembra Recife, tem um publico jovem, eletrico e com muita curiosidade pelos novos sons do Brasil. Aqui encontramos a banda Zé Mareia de Vitória do E.Santo, e os caras do Z’Africa Brasil, hip-hop de S.Paulo. Noites bem movimentadas, entrrevistas para Radio Internacional de France, para o jornal Liberation e muitas paisagens maritimas. Barcos ancorados, navios de passeios, gaivotas flutuando, um ar frio e aconchegante.

    Nosso show pegou a moçada de surpresa, como nosso release coloca nosso som como uma tradição “atualizada”, o primeiro set de musicas acusticas foi dando adaptação ao publico, para depois um momento eletro-acustico de Cocos com participação dos amigos Africanos de Benin,Eyo’Nle, que já fizeram conosco uma canja em Orléans. Entraram com percussão e metais, uma fanfarra de terreiro que contagiou, para depois encerrarmos com o bloco de frevos e combinações entre Bumba meu Boi rural e o Rock (Na Boleia da Toyota) e o remix do Coco do M que fez varios garotos darem mosh. Maravilhosa noite de despedida da França!

    Hoje dia off na Bretagne para amanhã pela manhã as 9:30 viajarmos para Belgica e de lá para Berlin.

    01,02 e 3/08/05
    Três meses exatos de Tour na Europa. Pegamos estrada para Berlin com uma noite de descanso na Belgica. Muito frio por aqui, mesmo no verão europeu, tem vezes que bate um frio e o tempo muda. Chegamos em Berlin. A cidade está muito movimentada por causa das ferias e muitos turistas passeiam nas avenidas e lojas. Teremos aqui 5 apresentações no consagrado Festival Heimatklange, no qual nosso som é conceituado como Forró Metropolitano”. Tivemos também antes de sair da Bretagne uma boa material no Jornal Liberation, no qual o critico de musica do jornal que assistiu nosso show nos comparou a uma espécie de “Rock Rural” e combinações que lembraram a ousadia de Frank Zappa. Não preciso dizer que fico muito satisfeito com as comparações. Na verdade a Europa ainda está tentando entender o Forró, sua história e o som que elaboramos a partir dessa tradição. Isso fica mais evidente no novo CD, o “Cabeça elétrica, coração acústico” no qual a mestiçagem de sons e levadas mostram que procuramos um outro padrão ou conceito para o Forró, possibiltadaor de cruzamentos, hibridismos. Estamos no caminho.

    04.08.05
    Aqui em Berlin ontem fizemos ontem nosso primeiro show de uma serie de 5 no Festival Heimatklange. O frio e a chuva intimidaram um pouco o publico, mas tivemos possibilidade de abrir essa temporada para os proximos shows com um mroteiro um pouco diferente, incluindo momentos free e uma canção voz e acordeon que soou forte. Hoje passeamos nas ruas de Berlin, fomos a lojas de intrumentos e conhecemos o metrô de Berlin, bem menor em estações em relação ao de Paris. Hoje nosso concerto sera as 20:30h.

    A Tour de 2005 deixa saudades. Nos vários shows, nas amizadas, nas regiões que conhecemos, Paises, linguas e um forte movimento em cada Região de afirmar sua história e reconhecer em culturas comno a nossa uma possibilidade de se reconheçer. Em cada despedida uma emoção, em cada palco e publico uma amizade, uma forte relação de interagir com as diferenças, políticas, economicas, históricas. Acredito que foi a maior Tour de minha vida artística desde o Canadá, E.U.A e as andanças pelo Brasil. 3 meses e 1 semana, vários vôos, vários hoteis, albergues, residencias de amigos, entrevistas, jornalistas, radios, restaurants, lanchonetes e monumentos do velho mundo que uniram a história que conhecemos pelos livros com a oportunidade de ver e sentir ao vivo todo um tempo, toda uma vida que passou e está nos registros turisticos e cotidiano da Europa. A França continua sendo nossa segunda casa após o Brasil. O Occitan como filosofia de vida e busca, como registro de uma historia que também é nossa, está em nossa memoria. Em todo esse tempo que inclui as outras Tours de 2003 e 2004, nos reconheçemos mais como Brasileiros, Nordestinos e Pernambucanos. Cresceu mais o amor pelo nosso chão e pela nossa terra, nosso povo, mas, também refeltiu em nós a oportunidade de ver outra realidade, outro contexto social que mesmo não sendo o caso, nos faz pensar no Brasiul, sua economia, seu povo trabalhador e sacrificado. E bate em nós a angustia e a esperança de desejar e trabalhar para que o Brasil seja outro Brasil, assim como a musica brasileira aqui começa a ser vista e escutada com outros olhos, com outra curiosidade. Estamos em um momento de afirmação cultural, isso leva a novos projetos artisticos e sociais. O Nordeste visto e pensado de longe se torna forte e resistente, vibrante e possibilitador de mudanças. Fazemos parte desse tempo.
    Comigo, incluo a equipe maravilhosa que tornou-se familia, amigos e profissionais nesses 3 meses de aventuras. Yuri, Wilson, Renato, Israel, André e Titio, com a colaboração de Fabian e Marc Regnier, tornaram possíveis a utopia nessa Tour de morarmos juntos durante 3 meses e convivermos com bom humor e respeito com as diferenças e semelhanças que tornam o ser humano ímpar. Estamos felizes.
    Chegaremos ao Brasil com mais uma Tour em Outubro, partindo da França e mais uma viagem minha para Paris em Dezembro. Um novo CD prestes a sair no Brasil, que aponta para mais um hibridismo a partir da nossa Tradição, e a alegria de dizer que tudo deu certo aqui.

    Beijos e abraços a Todos
    Silvério Pessoa
    Berlin – 2005
    www.silveriopessoa.com.br

    SHOWS DA TOUR

    1. 04/05 - Igé Le Ball - Igé (Françå)
    2. 06/05 - Pléneuf Val André - Festival Val Latina (França)
    3. 07/05 - 17 Rencontre Internationale de la Clarinette Populaire / Glomel / Bretagne/ (França)
    4. 08/05 - Festival Hurri Erratz / Pais Basco / (França)
    5. 13/05 - Festival Wazemmes l'accordéon - Lille (França)
    6. 15/05 - Festival Ordiep - Pais Basco/Pireneos
    7. 19/05 - Festival do Brasil - Stockholm - Suécia (Bar Brasil)
    8. 28/05 - VIII festival internacional de música de los pueblos/Sevilla-Espanha-2005-Alameda de Hércules/Territórios Urbanos
    9. 29/05 - Festival Dunya - Rotterdam - Palco América Latina

    10.04/06 - Tribufestival - Dijon - França
    11.10/06 - New Morning - Paris - França
    12.21/06 - Féte de la Music - Orléans - França
    13.23/06 - Dock des Suds avec Massilia S.System - Marseille - França
    14.26/06 - Wereldfeest Utrecht - Utrecht - Holanda

    15.01/07 - Rudolstadt Tanz & Folkes Festival - Rudolstadt - Alemanha
    16.02/07 - Louvain Festival - Louvain - Belgica
    17.03/07 - Lavagem do Sacre Couer - Montmartre - Paris
    18.14/07 - Fete 14 de juilet - Orléans - França
    19.16/07 - Festival Mar de Musica - Cartagena - Espanha
    20.21/07 - Tenerife Concert - Ilha de tenerife - Espanha
    21.23/07 - Festival Brasil - Trieste - Italia
    22.30/07 - Festival Les Arts Dînent a l'huile - Douarnenez/Bretagne - França
    03,04,05,06 e 07/08 - Heimatklange Festival - Berlin - Alemanha







    ----------

    19.12.06
    DIÁRIO DE VIAGEM PROJETO PIXINGUINHA 2005



    RIO DE JANEIRO
    03.04.05 – domingo
    Quando a equipe chegou, eu já estava no Rio de Janeiro, fui antes para masterizar o Cabeça eletrica, coração acústico, com o Ricardo Garcia. O CD está pronto para prensagem. Nesse dia almoçamos com Alceu Valença e Paulinho Rafael para escutarmos o CD e opinar sobre a finalização da master. A noite assistimos o ultimo show de Lenine da temporada no Canecão, um arraso!

    04.04.05 – segunda
    Começamos o dia com uma reunião entre a equipe da caravana, tecnicos, musicos, coordenação, no Hotel Argentina, no Flamengo, onde estavamos hospedados. Depois iniciamos os ensaios gerais no estúdio Floresta, um dia movimentado e bem produtivo.

    05.04.05 – terça
    Dia de passeio em Copacabana na Modern Sound, depois livraria, consegui encontrar uma serie indicada pelo Ricardo Garcia de um autor que faz Ficção Científica com humor, bem legal, chama-se O Guia do Mochileiro das Galáxias e o volume II, Restaurante no fim do Universo.

    A tarde uma passagem de som em clima de ensaio geral na RADIO NACIONAL, um espaço histórico com uma galeria de fotos que vai de Luiz Gonzaga, Marlene, Francisco Alves, e o auditorio chama-se Radamés Gnatali.

    06.04.05 – quarta
    O Show foi maravilhoso, o clima, a luz, o som,a equipe, as pessoas, publico, tudo na mais perfeita harmonia. Fila na entrada, Sala Funarte, Sidney Miller.

    MONTAGEM – desde Recife eu, Renatinho e André, topamos o desafio de montar o espetaculo para o Pixinguinha no contexto de 3 pessoas. Montamos um repertório enxuto, com roteiro sequenciado tendo como liga as vinhetas que solto no Dr.Sample e os efeitos do KP2. Demos o nome ao show de Nas Terras da Gente, pela presença dos temas e sonoridade que se iniciam em nossa história.

    SILVÉRIO PESSOA – PROJETO PIXINGUINHA NAS TERRAS DA GENTE 1. (Vinheta) OS BODES NO ESPAÇO (Silvério Pessoa)
    2. NAS TERRAS DA GENTE (Silvério Pessoa)
    3. (Vinheta) CARREIRO NOVO (Jacinto Silva)
    4. EU VI A MAQUINA VOADORA (Silvério Pessoa e Braulio Tavares)
    5. PISANDO CORAÇÕES (Hernani Campos e Antenógenes Silva)
    6. (Vinheta) NA BOLEIA DA TOYOTA (Silvério Pessoa)
    7. COCO DE CHEGADA (Silvério Pessoa)

    Encontramos uma alquimia, um ambiente favoravel para sentirmos segurança nas canções e nas levadas de viola e acordeon, no ultimo ensaio apresentamos para os amigos da banda, Wilson, Elias, Israel, e todos gostaram.

    Na Sala Funarte saimos fortes e felizes, mandamos um senhor som para o publico. Pretendemos apresentar esse show em Recife antes de iniciarmos novos projetos.

    BELO HORIZONTE 07.04.05 - quinta
    Ontem jantamos com um grupo de Franceses que vinheram conferir nosso show e fazer contatos com artistas que vão estar no Ano do Brasil na França, foi na Urca, um lugar lindo, conversei com jornalistas do Le monde, Guardian, Humanité.

    Nosso Voo foi cedo para Belo Horizonte, 10:00h. O Voo foi tranquilo e rápido, chegamos bem e estamos hopedados no Othon Palace, na Av. Afonso Pena, pleno centrão de BH.

    Dei entrevista para a Rede Minas, TV.

    O Microbio do Frevo está nas lojas de BH, já pelo selo Tratore.

    08.04.05 – sexta
    Café da manhã e caminhada pelo Parque em frente ao hotel. Conhecemos também o Teatro Francisco Nunes com capacidade para 600 lugares onde nos apresentaremos hoje as 21:00h.

    O show foi surpreendente. O som estava ótimo e no final fomos aplaudidos de pé, o que nos deixou emocionados pra caramba!

    VITORIA DO ESPÍRITO SANTO 09.04.05 – sabado
    Saida de Belo Horizonte bem cedo, 6:30h. Voo para Vitória do Espirito Santo tranquilo, 45m.
    Chegada em Vitória. Ficamos hospedados perto da Praia do Canto. Fizemos caminhada pela praia, conhecemos monumentos e nos integramos mais no grupo.

    10.04.05 – domingo
    Manhã de praia e sol, ninguém é de ferro!
    A tarde passagem de som bem legal. O Tetaro Carlos Gomes tem uma semelhança com o Teatro Santa Izabel, muito bonito.

    A noite um publico receptivo lotou o teatro para 600 pessoas. Nosso show foi emocionante! O publico participou das musicas, batendo palmas, acompanhando as loas de Coco, e no final fomos apludidos d pé novamente, e dessa vez um pedido de Bis. Estamos muito felizes.

    Jantamos uma muqueca, prato tradicional da Cidade, e descançamos.


    SÃO PAULO 11.04.05 – segunda
    Saída para o aeroporto as 10:00h, vôo para São Paulo.
    13:30h. Chegada no aeroporto de Congonhas. Esse roteiro de show e viagem em dia corrido deixa o grupo enfadado, mas, o astral está ótimo.

    O Hotel é o Poeta Drummond, fica na Consolação, eu gusto de ficar nos andares mais altos para tirar fotos, estou no 14 andar.

    No final da tarde eu e o Marcelo Maldonado fomos para a FNAC de Santos, comprei o CD novo do Tom Zé, e a biografia do Gainsburg.

    12.04.05 – terça
    Pela manhna fizemos uns exercicio na academia do hotel, para desenferrujar de tantas viagens e hoteis.
    A tarde passagem de som. O teatro é um anexo da Secretaria de Cultura de São Paulo, Teatro Fernando Azevedo, proximo a Praça da República.

    O Show da noite foi perfeito, luz maravilhosa, som impecável e a caravana continua contagiando e mostrando novas referências que vem do Nordeste. O Show de Lula continua cada vez mais aquecido, e o nosso também, cada vez mais entrosado e conseguimos criar lindos momentos de improvisação.

    Terminado o show, demos autografos, recebemos amigos de São Paulo e vendemos Cds.

    PORTO ALEGRE 13.04.05 – quarta
    Saida as 6:30 de São Paulo para Porto Alegre.
    Chegamos em PA encontrando um clima de 22 graus, frio confortável, a cidade cinza e muita gente nas ruas.
    Logo fomos para um grande Mercado almoçar, proximo ao Centro.
    Aproveitamos para visitar o Espaço Santander, antiga sede do Banco Nacional do Comércio que estava cediando a Mostra Cultural MIRABOLANTE de MIRÓ, gravuras, litografias e xilogravuras originais. Fomos eu e o João Omar, junto com o Tostão e o Renato.

    Depois demos um role no centro da Cidade.
    A tardinha fui com Lula e João Omar para a Radio fmCultura. Soubemos que jea foram retirados 500 ingressos para o show de amanhã.

    14.04.05 – quinta
    Dia tranquilo. Pela manhã aproveitei a conexão no quarto e trabalhei no computador, mandei emails etc…
    A tarde depois do almoço pasagemd e som, o Teatro da URGS é bem parecido com o teatroda UFPE, gostei muito da acústica.

    O Show foi maravilhoso, cada vez mais conhecemos a musica da caravana e estea cada vez mais integrado. Novamente nosso show foi aplaudido de pé pelos Gauchos, vendi todos os Cds que levamos e foi muito afirmativo.

    Terminamos todos cantando Alzira e a Ponte do Lula e Lenine.

    CAXIAS DO SUL 15.04.05 – sexta
    Saida do Hotel, Porto Alegre, para Caxias do Sul.
    Um onibus com 41 lugares pegou Estrada para Caxias do Sul, uma viagem divertida com uma paisagem peculiar do RS, lindas montanhas, verde, e temperatura agradável de 19, 20graus.

    Chegamos no hotel Intercity, vai ficar na história, um lindo hotel com piscina termica, rede de internet em cada quarto, lindos quartos…!

    Hoje no Festivald e Cinema do Recife sera exibido o curta de Kleber Mendonça Filho, Vinil Verde, que fiz a trilha, Karina ficou de me representar.

    Passeamos pela Cidade, fomos a sauna, piscina, curtimos o hotel.

    16.04.05 – sabado
    Pela manhã fomos ao teatro e visitamos também o Chateau Cave, um Castelo no qual é produzido vinhos de Caxias do Sul.
    Participamos de um programa de radio, depois fomos para passagem de som.

    O Show foi um dos melhores da Caravana, som perfeito, entrosamento cada vez maior da equipe tecnica e nosso momento foi perfeito. Rolou improvisação, uma intereção com o publico, foi muito legal. Vamjos ficar com saudades dessa linda Cidade, Caxias do Sul.

    17.04.05 – domingo
    Saida de ônibus para Porto Alegre, 10:00h
    Vôo para Curitiba.

    CURITIBA
    Chegada em Curitiba as 16:30h, 22 graus, clima maravilhoso. O Fluminense venceu o Volta Redonda e o Atlético Paranaense venceu o Curitiba, a cidade está em festa.

    Dormimos cedo pelo cançaso da viagem.

    18.04.05 – segunda
    Fomos fazer programas de Tvs, bem legal, na TV cultura local. Demos um passeio no Centrod e Curitiba, tiramos fotos de praças e monumentos e a tarde passamos o som. O Teatro faz parte de um complexo que reune Radio, TV e teatro com um estrutura maravilhosa!

    O show foi absurdo, colocamos o publico inicialmente quieto para participar com palmas, loas e no final estavamos seguros de uma interação perfeita. Fomos aplaudidos de pé, raro entre o publico que frequenta o Pixinguinha local. O Show foi filmaod em DVD e em breve receberemos da Secretaria de cultura local.


    19.04.05 – terça
    Hoje passeamos pelos principais lugares de Curitiba, a OPERA DE ARAME, o JARDIM BOTANICO, os parques e colonias de recreacão, maravilhosos! Um cidade com um jeito de administração que deu certo, inclusive pela parceria com a sociedade civil.

    Saida do Hotel as 16:00h para PONTA GROSSA.
    Chegada em Ponta Grossa no final da tarde, Estrada boa e movimentação pouca. O Clima da Cidade de interior do Paraná é bem paraecido com as altas de Gravatá, um sol gostoso e um ar frrio aconchegante.
    Saimos para o jantar e dormimos.

    20.04.05 – quarta
    Acordamos cedo e fomos caminhar pela cidade, eu, Jõao, Liberato e André, depois visitamos o novo local do show de hoje, o teatro do colégio Marista, bem mais estruturado, com 750 lugares. O Teatro anterior foi descartado por falta de estrutura.

    Passamos o som e ficamos para o show da noite encerrando a caravana. Foi emocionante, eu, André e Renato estávamos inspirados e mandamus ver o repertório com improvisos e belos momentos de levadas e interação com o público. Resultado, aplaudidos de pé.

    A experiência do Pixinguinha foi de fundamental importância para nossa equipe, saber que nossa musica, partindo da tradição, pode combinar timbres, sons, levadas e permancer a mesma fonte de inspiração, indentificadora de um lugar e de um povo. Foi fundamental para mim conquistar uam segurança a partir de um espetáculo que montamos para a Caravana, Viola de 10 e violao, Acordeon e escaleta, e voz e sampler e efeitos. Tudo vale a pena se a alma não é pequena, falou o Pessoa.

    Valeu!

    21.04.05 – quinta
    Saida de Ponta Grossa as 3:30 da madrugada para o aeroporto de Curitiba. Vôo para Brasilia, conexão em Maceió e chegada em Rercife as 13:45h.






    ----------

    Diário de Viagem Tour 2006


    Oi!
    Achei interessante colocar esse Diário de viagem da Tour desse ano! Nem corrigi direito, mas, relendo o que escrevi sinto tudo bem pertinho, com cores e tudo mais. Ao mesmo tempo é meio que "zerar" o conta giros pra outra p-ágina que vem por aí né? coisa boa!

    Além de tudo, viajar...
    Sabe que quando eu fui pro aeroporto, senti uma coisa estranha...o dia estava diferente. Uma zonzeira, um zumbido sem som, as cores da avenida Recife estavam sem a nitidez freqüente. Típico quando eu tenho uma Tour pela frente. Eu fico olhando da varanda do apartamento as árvores e os prédios e imagino...será que elas estarão diferentes quando eu voltar? Meu jeito de me despedir do Recife é estranho. Eu fico inquieto, e pisco os olhos mais do que o normal.

    Dia 14 saimos e dia 15 chegamos em Lisboa, dormimos no avião em um lugar mais que inconveniente, próximo ao banheiro, então, a cada descarga, um forte som de vento aspirado....fxuuuuuuuiiiiixxxxxxxxxxiiiiiiiiiiiii...e eu levantava a cabeça e olhava todos dormindo feito anjinhos! Passamos rápido pela alfândega e já estávamos em outro Vôo para Paris, Orly.

    Com a cabeça zonza do fuso de 5 horas a mais, entramos direto na Van e pegamos estrada para Lyon, terra natal de Allan Kardec, codificador da Doutrina espírita. Cidade linda. Cidade de ruas e prédios históricos, de amigos como a banda Mei Tei Sho e de um frio constante. Dormimos e saímos cedo para Marseille, que nos recebeu com aquele porto cheio de gaivotas planando e turistas enbevecidos com os bares bem pertinho dos atracadouros. Sem muito tempo pra pensar, fizemos um show Case de 30 minutos no Cabaret Aleatoire, transmitido pela rádio local. No outro dia uma entrevista para a revista Mondomix. Claro que saí na caçada de uma loja de computadores MAC, onde me delicio com os novos acessórios e programas.

    O Show em Marseille foi no Le Balthazar.Não dá pra não comparar com a antiga Soparia de Roger. Lugar badalado em Marseille. Mandamos ver na medida certa, mesmo não usando os samplers por causa do tamanho da mesa.

    Estrada para Amsterdã. 20/05/06

    Maravilhosa cidade, é Amsterdã. Plana, com aqueles prédios de tijolinhos marron, com os Coffe Shop sempre em clima de Reggae, posters de Bob Marley e um cardápio sobre cada mesa com as mais variados tipos de maconha. O usuário escolhe por cheiro, forte ou fraca, Jamaicana, e se quiser, levar sementes para plantio particular. Essa legalização sempre nos impressiona.

    Direto para a passagem de som no Tropentheater. O local do show é em um complexo cultural que reúne sala de espetáculo, galeria de arte, bar e hotel. Isso facilitou muito.O show rolou com precisão, mas, houve, pra variar, problemas com equipamento do teatro. Mesa pequena, queimamos nosso MD, mas, mandamos bem, sala lotada e eu tentando falar Francês pra um público Holandês.

    Passeamos muito na cidade no outro dia. Fotografias, passamos pelo museu de cera com uma fila quilométrica para entrar, depois fomos aos famosos sexy Shop, onde casas abertas colocam modelos vivos em janelas de vidro, exibindo seus dotes para os que se aventuram. Eu fui em uma loja da Levi’s. Comprei adesivos em lojinhas de presentes, e terminamos o dia com uma chuva fina sobre Amsterdã e o frio cortante acelerou nossa despedida dessa louca, porém sedutora cidade.

    23.05.06 Chegamos em Bruxelles, Bélgica.
    Aqui, ficamos em uma casa gentilmente cedida pelo Vitor, nosso amigo de outras vindas. Uma aconchegante casa em um bairro próximo a Bruxelles. Casa projetada com vários ambientes, escada de madeira, quartos sempre quentinhos em clima de frio, sala com escadinha de acesso a cozinha e um quintal ladeado de vizinhos idosos que cultivam horta, tudo muito bem desenhado, com esmero que faz gosto.

    MuzienPUBLICQUE-Festival/ No Teatro Moliére – Galeria Naamsepoort em Bruxelas, Bélgica. O Show foi o melhor dessa Tour. Som nos nossos monitores de ouvido impecável. Público participante e nosso roteiro fica mais forte para nós mesmos. Encontrei muitos produtores que estavam no Porto Musical desse ano, em Recife.

    Hoje estamos em dia Off em Bruxelas. Uma chuva fina e constante na cidade, e um frio que faz vontade de ficar curtindo a casa aconchegante.

    Muito som rolando nos PowerBooks, nos CD Players e no som da Van. Björk, Richard Wagner, Los Hermanos, Moby, Goran Bregovic, Mei Tei Sho, Nação Zumbi, Chico Buarque (Carioca, DVDs), Camille, o DVD de Tim Maia, Totonho e os Cabras...e por aí vai!!!

    28.05.06 Estou em Paris
    O show de lançamento foi ontem no espaço L’Ermitage. Maravilhoso! Tudo certo!

    Paris está sombria, mas, o sol deu as caras hoje e transformou o domingo em um lindo dia pra passear e ver tanta gente de preto passeando nos parques e nas avenidas. Estamos na Avenue Jean Jaurés, perto do Parque de La Vilette, no Cite de la Music. Passeio legal também é ir pelas margens da Bacia do La Vilette. O ar está perfeito pra respirar.

    Seguimos agora para Orleans(França) e depois pra Holanda.

    PERAMBULANDO E VENDO AS PESSOAS
    Aqui em Nijmegen, Holanda, parece que tudo dá certo. Do recolhimento do lixo tão rápido que nem parece ter lixo nessa cidade, até o comercio repleto de pessoas comprando, como se não houvesse problema econômico. Tudo funcionando bem nessa pequena cidade de pessoas “iguais” com os emergentes imigrantes presentes em toda parte da Europa.

    Entre os dias 29 e hoje, 3 de junho, passamos por tantas cidades e 3 Países que a cabeça deu um nó. Orleans, França, Lille (França), Bruxelles e Antwepean (Bélgica), Utrech e Nijmegen (Holanda), inclusive nosso aeroporto de saída da Europa vai ser por Amsterdã. As pessoas muitas vezes parecem iguais, outras vezes parecem diferentes por grupos de imigrantes, isso confunde definir a qual grupo pertence determinados bairros e pessoas. Aqui em Nijmegen, onde estamos quase saindo para nosso ultimo show da Tour no 22nd Musicmeeting, a predominância de Holandeses é nata.

    A Holanda acaba de empatar com a Austrália em um amistoso equilibrado. A Austrália empatou no segundo tempo com um gol de pênalti, no qual, a bola bateu na trave e de volta bateu nas costas do goleiro da Holanda, ele tentou afastar a bola mas o zagueiro de atrapalhou e o atacante Australiano deu uma bomba pro gol Holandês. Assistimos o jogo no quarto do Fabrício, nosso produtor de Tour.

    Retorno ao Brasil via Lisboa. Hoje é 04 de junho, mas, só sairemos na madrugada do dia 5 via Amsterdam. Eu vou pro Rio de janeiro na quarta feira, fazer parte como convidado de um show no Circo Voador. Ou seja, mais saídas. Acho que só me aquieto na próxima segunda feira.

    Bjork foi nossa trilha várias vezes nas estradas cinzas da Europa. Cds e DVDs ornamentaram nossas vistas buscando alguma cor em um verão que não chegava naquelas tardes e manhãs de estradas. O café nesses momentos parece um santo que vem atender nossas promessas. E quando vem com aroma de cacau....adoro essas combinações que o café pode oferecer, cacau, leite, e até uma bebida forte entra nesse mundo escuro, árido e suave do café. Café com creme.

    Gling Gló faz parte de um CD que Yuri (guitarrista da banda) encontrou de bobeira na Fnac de Marseille. Bjork cantando com um trio de Jazz da Islanda. Soa maravilhoso, diluente nos ouvidos, mas ou mesmo tempo mantém minha busca de entender a distancia entre harmonia e melodia que ela faz inocente. O mesmo com a canção Luktar-Gvendur. A vassoura fica arrastando na bateria, feito piaçaba de Vovó no terreiro quante em Carpina. Eu acho que ela ta cantando em Islandês!!!!! O piano é um menino que picota sorrateiro a voz forte e redonda dela. Já viram as saias que ela usa?

    O meu (re)encontro com o Recife sempre é desprovido de pensamento antigo. Eu sempre chego de viagem pensando no que vai acontecer amanhã com a paisagem que deixei antes. Se vai ter prédio no lugar da casa ou se alguma banda conhecida da Cidade gravou um novo disco. Enquanto o avião faz a curva entre o Ibura, o Jordão e a Av.Recife, soa no ipod “Overture”, a faixa que abre o Cd Dancer in the dark, cujo filme o choro no final parecia inevitável. Depois enquanto o avião aterrisa, o som das máquinas, parece que é de trem, locomotiva, tricota a voz da “doida”, como falava Wilson (Baterista da banda)! Conto de fadas urbano.

    ----------

    3.12.06
    NAS PEGADAS DOS NÔMADES - Parte II



    Domingo nublado e quente em Recife!

    Esse CD, Cabeça elétrica, Coração acústico é uma novela musical sobre os deslocamentos, as idas e vindas não só em ambiente geopolítico, mas interior também, uma viagem ao intreior de um povo que mesmo sacrificado celebra! e busca sempre uma vida melhor dentro da classe que ele pertence, ou como o Filósofo Bordieu escreveu " o alpinista social", que é como me considero. Um garoto que deixou "a terra escura" o massapê, para se aventurar com a família na metrópole. O CD está repleto de citações subjetivas sobre esse tema, não só no Brasil, em Pernambuco, como tb na Europa, principalmente a França onde vivenciei e ainda vivencio essa angústia de uma nova vida resultado de migrações, imigrações. Ouça Na Boleia da Toyota (boleia é um banco colocado na traseira de uma espécie de jipe onde grupos do Agreste, Sertão e Zona da Mata se deslocam pra cidade), Poesia Urbana, uma parte de minha viagem na Cidade, Sambada e Massapê, Cipó de Goiabeira (as brincadeiras que quase são extintas por causa do asfalto e tecnologia), Alto que só (refere-se aos Europeus e seus imigrantes), Forró na Gafieira, que é o encontro do gênero do interior, o Forró com um espaço da cidade, a Gafieira, o samba e o baião. A afirmação "Sou de Pernambuco", "Sou Pernambucano", objetiva localizar um espaço etnico e ético, como as imagens da novela das 8 afirma uma Cidade.!!!???

    Perder o medo de escrever e cantar seu endereço, Ponte da Boa vista, Parque 13 de maio, Pátio de são Pedro, Recife, Pernambuco, Zona da Mata, Carnaval, Frevo, Forró. Para esse sonho se tornar realidade é só ouvir, lendo, SEU ANTONIO que fiz pensando no Gil, o Gilberto, e se tornou uma autobiografia, que também comenta sobre o espaço de confluência entre povos do interior que se tornam Mascates, a av.Dantas Barreto no centro do Recife. Seu Antonio é meu monolítico tema, minha passagem para outro mundo musical que embora ainda não esteja concretizado, já existe em rascunho mental!

    Cabeça elétrica, Coração acústico. Um portal que não esperava a compreensão de todos, que não foi criado para assegurar uma história, mas, para subverter a tradição. Naturalmente a história sempre vai existir sem guardião, e nesse exato momento alguém no Nordeste ouve Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e o som de um acordeon. Ouve pelo celular ou pela antena parabólica, pois a rádio torna-se fóssil e fica atrasada em relação ao novo, que deve buscar nos "pilares" a continuidade para a modernidade. Como "falou" Seu Antonio...o que faz o ser humano é perder o medo...!

    Pra Vanessa

    ----------